Todos nós nascemos como telas brancas que são pinceladas ao longo do crescimento. Aprendemos a respirar, a nos alimentar, a andar e falar. Porém no momento em que começamos a exprimir nossas primeiras opiniões já passamos por um processo de moldagem.
Nossos pais nos ensinam o que aprenderam com os nossos avós, que aprenderam com os nossos bisavós sobre como é viver a vida, e por aí vai. Obviamente eles nos ensinam o que acham que é melhor com a intenção de nos preparar para a vida.
Aprendemos na rua, na escola, com nossos professores, colegas e com a sociedade de uma forma geral, formas de ver o mundo. Esses ensinamentos são essenciais para formar quem seremos na vida adulta, e ao longo da vida também aprendemos a discernir o que queremos do que não queremos viver.
É preciso compreender que nem todos os ensinamentos pelos quais somos submetidos fazem sentido para nós e muitas vezes nos afastam da nossa maior missão nesta Terra: ser feliz!
Quantas vezes você escutou que a "a vida é dura", "só se aprende com os erros", que não vale a pena sonhar pois no final pode se frustrar", que "dinheiro é sujo" e até mesmo que você não é inteligente nem bonito o suficiente? E quantas vezes você realmente acreditou que isso era verdade?
Hoje, a neurociência aponta que seres humanos são 95% regidos pelo inconsciente, onde habitam nossas memórias. Esses ensinamentos ficam armazenados no nosso subconsciente e ao longo dos anos nós os interiorizamos como verdades absolutas. Assim, acabamos por nos identificar com coisas que aprendemos que não nos ajudam a chegar a lugar algum.

Conheça o Ho'oponopono

De acordo com os antigos povos do Pacífico Sul, os pensamentos contaminados por memórias traumáticas do passado são a fonte do erro.
O termo Havaiano "Ho'oponopono" significa reparação ou correção de um erro. É uma técnica de cura focada na reparação, no arrependimento e na transmutação de memórias, muito antiga no Havaí. Foi proibida durante o processo de repressão colonial porém foi resgatada e testada cientificamente pelo Dr. Ihaleakala Hew Len na cura de pacientes-detentos com graves distúrbios mentais, na década de 1980.
O Ho'oponopono consiste na repetição de um mantra com 4 palavras-chave muito conhecidas por nós na primeira infância, mas que com o tempo acabam por se tornar banais como meras regras de tratamento.
Sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grato.
A repetição dessas simples palavras tem o poder limpar e transmutar memórias que nos desconectam de nossa verdadeira essência, saúde mental, emocional, física da nossa prosperidade interior e financeira, paz e da felicidade que deveríamos vivenciar apenas por estarmos vivos. Muitas dessas memórias guardadas no inconsciente são os grandes obstáculos para que possamos realizar nossos maiores sonhos. Essas crenças limitantes nos provocam sentimentos como o medo, a ansiedade, a autocrítica e a falta de confiança em si mesmo.
O Ho'oponopono nos ensina a reconhecer e acolher essas memórias e sentimentos com amor para que possamos nos auto curar.
Assumir a responsabilidade sobre determinada situação que ficou no passado mas que ainda se reflete no presente nos prepara para que possamos reconhecer nosso poder de mudança. Ao praticar autoperdão temos a compaixão conosco, com o Universo e com as pessoas à nossa volta, nos abrindo para nos libertar de determinados padrões e problemas que se repetem na nossa vida.
A única verdade que existe dentro de todas as ilusões é o Amor, e por isso esse sentimento tem tanto poder para curar qualquer mazela. Quando dizemos "Eu te amo" estamos abrindo caminho para que esse amor retorne a nós. Devemos amar nossas memórias, pois ao acolhê-las com amor podemos nos libertar do peso que elas tinham até então na nossa vida. O amor é a maior fonte de conexão com o Divino, por isso deixe-o transbordar.
O sentimento de gratitude é fundamental para o fechamento de ciclos e o começo de novas histórias. É a confiança em sua forma mais elevada. Devemos ser gratos ao nosso inconsciente pela capacidade de reconhecer e ressignificar nossas memórias de dor, pois só assim podemos curá-las e abrir espaço para crenças genuínas que nos levam a viver uma vida autêntica e alinhada com nosso propósito.

Como praticar o Ho'oponopono

O Ho'oponopono é uma das práticas meditativas mais tranquilas de serem feitas. Ele não exige nenhum tipo de postura, regra, prática religiosa ou espaço específico para ser praticado.
Para entoar o mantra você pode escolher um horário específico do seu dia onde se sinta mais relaxado ou quando se depara com qualquer sentimento ou situação incômoda à você. Apenas repita o mantra, mentalmente ou vocalmente, a ter se sentir aliviado. Pode também utilizá-lo para curar relações com outras pessoas, mas o mais importante é começar a praticar pensando em si mesmo, pois é um processo de cura de dentro para fora. É a partir da forma como enxergamos o mundo que ele se apresenta para nós. Você também pode se utilizar da contagem de 108 repetições. Esse número é considerado sagrado e pode potencializar os resultados da prática do Ho'oponopono.
Para que você possa se concentrar apenas na entoação do mantra durante a contagem existe uma ferramenta incrível chamada Japamala. Trata-se de um fio de contas indiano com 108 bolinhas e uma divisão (Meru). Ao entoar as 108 repetições do Ho'oponopono você esvaziará sua mente dos seus próprios julgamentos e poderá atingir profundos níveis de amor, rendição e gratidão. Por exemplo: (Seu nome) me perdoe, eu te amo e sou grata (ou grato).
1. Abençoe todas as experiências que você já viveu, pessoas com quem contracenou e lugares por onde passou e principalmente, abençoe sua vida.
2. Acredite que você possui o poder dentro de si para curar a si mesmo.
3. Espere sempre o melhor da vida, o que ficou no passado não te representa mais.
4. Entenda que ao praticar o Ho'oponopono também estamos praticando o desapego, para que assim possamos viver uma vida mais leve e feliz.